sexta-feira, 15 de abril de 2011

Atenção à Contrapartida em um projeto

A Contrapartida tem causado a desclassificação de muitos bons projetos. Os proponentes confundem Contrapartida com a propaganda da marca do patrocinador, pensando que estão fazendo um favor àquele que deu o dinheiro.

Vamos esclarecer as coisas: o patrocinador põe fé na proposta apresentada liberando recursos para a realização do projeto. O mínimo que o proponente deve fazer para agradecer é divulgar a marca. Sendo assim, é dever do proponente divulgar a marca do patrocinador; este tem o direito de ter sua marca difundida em todo material de comunicação, seja em websites, impressos, entrevistas, camisetas, etc.

Como vimos, a publicidade da marca patrocinadora faz parte do projeto, independente do proponente querer ou não. Os 10% de ingressos, o silkscreen nas camisetas, a personalização de blocos, canetas, pastas, crachás, folhetos, cartazes, etc.

O que seria a Contrapartida, então? Além da divulgação da marca, o que mais o projeto pode oferecer ao patrocinador? A aproximação do patrocinador com o público, por exemplo, vai além da mera divulgação da marca no material de campanha e fornece uma excelente contrapartida. Todo o conjunto de divulgação da marca + o que você pode oferecer, além da divulgação, forma a contrapartida.

A Contrapartida é também o que o proponente investe no projeto, seja em forma de recursos financeiros ou mão de obra. Há também a contrapartida social, que pode ser ilustrada como a distribuição gratuita de ingressos ao público que não tem condições financeiras de adqurí-lo.


Saudações culturais
Liter & Art Brasil

8 comentários:

Ilíada disse...

Não entendi! é possível dá um exemplo prático nesse sentido?

Liter e Art Brasil disse...

Vou explicar direito esta parte, fui eu que utilizei mal as palavras: "Os 10% de ingressos, o silkscreen nas camisetas, a personalização de blocos, canetas, pastas, crachás, folhetos, cartazes, etc. Nada disso é Contrapartida."
É contrapartida mas é uma contrapartida designada pelas normas vigentes que, estabelem um mínimo de ações de retorno ao patrocinador.
Num projeto de peça teatral, por exemplo, pode ser oferecida uma apresentação aos funcionários da empresa patrocinadora.
Um diferencial que o projeto possa oferecer - esse diferencial é considerado como um contrapartida de verdade. Saia da linha do "vou colocar a logomarca e pronto", busque alternativas que valorize seus patrocinadores.

paulo camargo disse...

no caso de contrapartida de curta documentário do SAV que é 20% do projeto o que seria aceitavel... tenho bastante duvida a esse respeito....

Liter e Art Brasil disse...

Ofereça uma sessão especial aos funcionários da empresa ou, se houver a possibilidade, apresente uma sessão do curta na própria empresa e leve alguns brindes para os funcionários. Use a criatividade, Paulo, de acordo com o que for possível pra você.

ClaireSF disse...

Eu compreendo contrapartida com foi dito agora! Me parece que o conceito tem sido usado tb de outra forma, neste mesmo blog o manual de elaboração de projeto (http://elaborarprojetocultural.blogspot.com.br/2009/04/manual-de-apoio-elaboracao-de-projetos.html) define que contrapartida seria justamente a exposição da marca em materiais de comunicação e uma cota de ingressos para as apresentações e outras ações do gênero. Como saber qual o conceito que o patrocinador adota? Nem sempre o edital será claro!

Liter e Art Brasil disse...

Oi, Claire

A exposição da marca, cotas de ingresso e outras ações do gênero são o mínimo que você pode fazer pelo seu patrocinador. Na elaboração de um projeto preparamos o plano de divulgação com esse básico, que é obrigatório. No salicweb tem o campo onde o proponente tem que colocar quantos ingressos vai para o patrocinador. E não é qualquer valor: não pode ser menos de 10%.

Estou na corrente dos produtores que pensam da seguinte forma: se já tem um mínimo de ações previstas para os patrocinadores, e que são obrigatórias; então que tipo de agradecimento é esse? Ser obrigado a agradecer anula o valor do agradecimento. Por consequência, oferecemos um "algo mais", desta vez por nossa livre e espontânea vontade - mostra que você pensou com carinho no investidor, tanto quanto com o seu projeto. Se é de boa vontade, é um agradecimento de valor; sendo assim, este "algo mais" torna-se a contrapartida "real".

Querendo colocar no seu projeto só a contrapartida mínima, ponha; mas ponha de boa vontade, entendendo que aquilo é um agradecimento. Patrocinadores são nossos parceiros, sem eles o projeto não se executa. Porque não agradá-los mais um pouquinho?

Manuais, guias.. São publicações com intuito de dar uma linha de base para que o iniciante entenda. Não verá as nuances a mais em publicações direcionadas ao aprendizado. Não dá para colocar tudo detalhado porque o objetivo não é esse. O aluno pega a publicação e quer terminar o mais breve possível para dedicar-se ao desenvolvimento de seu projeto. Esses detalhes, vocês vão pegando aos poucos. A ausência deles nas publicações não diminui em nada o valor informativo.

Taissa Drummond disse...

Minha dúvida e se a contrapartida entra descrita no corpo do projeto ou se precisa ser inserida no orçamento ou ambos!?

LITERART disse...

Bom dia, Taissa!

A contrapartida é o que vai descrito na etapa Comunicação e Divulgação, do Plano de Ações. Deve ser devidamente orçada na planilha orçamentária. O plano de mídia faz parte de Comunicação e Divulgação.